Pedestre sem calçada com ônibus

Já reclamaste dos buracos nas ruas hoje?

 

Em São Luís é assim, junto com as chuvas, muitos problemas aparecem e são realçados. Afinal, poucas são as cidades no mundo que possuem uma média pluviometrica tão alta. Deveria haver uma lei que obrigue o aproveitamento dessa fonte abundante de água. Só para termos uma idéia: a nossa precipitação média é aproximadamente 5 vezes mais alta que as que ocorrem nas ‘cinzentas e chuvosas’ cidades Holandesas, Londres, e até duas vezes mais que a de São Paulo. Não é à toa que as piscinas dos ‘Lençóis Maranhenses’ são cheias de água da chuva: é a natureza em seu espetáculo, a exemplo do que fazer com tanta de água.

Um dos problemas realçados pela água da chuva são os buracos, tanto nas ruas quanto nas estradas. Li há pouco tempo que “São Luís terá R$ 100 milhões para obras de pavimentação.” Fora isso, há mais de R$ 244 milhões arrecadados em IPVA, só no Maranhão.

Mas é bom ressaltar que, de todo o Brasil, somos o estado que possui a menor densidade de veículo por pessoa! Isso reflete os argumentos na apresentação do projeto do Cidade Idéia com dados de São Luís: nós temos um número exemplar de usuários no sistema de transporte público. Poucas cidades no mundo, inclusive as europeias, possuem mais da metade da população usando o transporte público. Também devemos alertar as autoridades que ao anunciar R$ 100 milhões a obras de pavimentações, coloca entre parênteses: revitalização de ruas e bairros. Tenho uma grande esperança de que não esquecerão que revitalizar não significa pôr asfalto.

A verdade é que, infelizmente, muitos idealizam a cidade apenas olhando para seu próprio umbigo. Ao trabalhar com planejamento urbano chega a ser antiético pôr em prática ideias que satisfaçam o seu ponto de vista. O que quero dizer é que, muitas vezes, só reclamamos da cidade quando nosso carro cai no buraco. Entretanto, olvidamos das calçadas que mal existem, praças abandonadas e o sistema de transporte público ineficiente e que estão aí o ano inteiro, e não apenas no período de chuvas.

Assim, enquanto você reclama de um buraco na rua, existem pessoas que nem possuem calçadas para andar, como na imagem do topo. E aí, vais reclamar só dos buracos?

obs: a imagem do topo foi tirada no dia 15 de fevereiro, na Península da Ponta D’Areia. Abaixo vemos duas imagens, a segunda foi tirada no dia 23 de dezembro, quando iniciaram uma reformulação na calçada. No total, somam quase 2 meses sem calçada até o presente momento, e com chuvas, o pedestre se equilibra entre as poças d’agua e os carros que passam ali ao lado.